Destacáveis contrariam tendência de queda no mercado de tablets

Segundo dados recentes apresentados pela IDC, o mercado global de tablets, na Europa Ocidental, diminuiu 13,1% em relação ao ano anterior tendo sido colocados no mercado qualquer coisa como 10,6 milhões de unidades ao longo do quarto trimestre de 2017.

O valor revela um contínuo enfraquecimento do mercado, diz a IDC, com os slate a serem o motor principal dessa erosão já que tiveram uma queda de 15,4% em relação ao ano anterior.

Já os tablets destacáveis, embora tenham igualmente diminuído em termos de vendas, a verdade é que continuam a ter relevo em algumas áreas. Assim sendo, este tipo de equipamentos apresentaram um declínio de 2%, mas, graças ao crescente interesse dos utilizadores em dispositivos premium, juntamente com um desempenho comercial muito forte, a verdade é que o valor das vendas (calculadas em euros) aumentou 3,2%.

Diz a IDC que, no geral, o segmento comercial teve um desempenho ligeiramente negativo, resultando numa queda de 1,4% em relação ao ano anterior. Apesar disso, os tablets destacáveis apresentaram um crescimento de 8,5%, impulsionados pelo aumento da adoção das empresas que se preparam para dotar as suas equipas de trabalho de capacidades móveis.

Numa análise por empresas, a IDC concluiu que a Apple se classificou em primeiro lugar, com 24,1% de quota de mercado, mas diminuiu 1% numa base ano após ano. A sua performance acabou por ser confirmada pelo bom desempenho dos mais novos iPad.

Já a Samsung ficou em segundo lugar, registando uma quota de 19,8%, mas diminuindo 5,2% em relação ao período homólogo, enquanto a Amazon ficou em terceiro lugar com 9,1% de quota de mercado, mas registando um grande declínio de 19,2% em relação ao ano anterior, conforme refere a IDC.

A Lenovo ocupou o quarto lugar, depois de crescer 0,2% em relação ao período homólogo, e a Huawei foi o único dos cinco fornecedores que cresceu (27,7%), mantendo o seu quinto lugar com 5,6% de quota.

Imprimir    Enviar a um amigo