Tecnologia para a Saúde ganha folego na Europa Ocidental

Segundo dados do último relatório «Health Insights» da IDC, o investimento em TI, realizado pelo sector da Saúde nos países da Europa Ocidental, deverá crescer dos anteriores 12,9 mil milhões de dólares em 2016 para os 14,21 mil milhões em 2021. 

Em termos globais, o segmento de Saúde no setor publico vai continuar a crescer a um ritmo mais rápido do que a saúde privada (2% vs. 1,6%), “apesar da alta prioridade das iniciativas de controle de custos nas agendas dos governos europeus”, recorda a IDC.

Os hospitais representam cerca de 62% dos gastos totais em TI ao nível da Europa Ocidental, esperando-se que o valor cresça 1,9% até 2021.

O relatório mostra ainda que as cinco principais economias da Europa Ocidental representaram 72% do investimento total em TI na Saúde em 2016. Nesse sentido, o Reino Unido continua a ser o maior mercado de TI, com taxas de crescimento em torno dos 2,3%.

Por seu lado, a Alemanha será o mercado de mais rápido crescimento entre os cinco, com um CAGR de 3,5% em 2016-2021, seguida muito de perto pela França. Já a Itália voltou a ter um crescimento estável, de cerca de 1,4%, impulsionada por iniciativas regionais em torno da modernização dos serviços para pacientes e plataformas regionais associadas ao registo de saúde eletrónica.

Imprimir    Enviar a um amigo